Mamíferos

 

 

 

 

 

GIRAFA

NOME COMUM: Girafa
NOME EM INGLÊS: Giraffa
NOME CIENTÍFICO: G. Camelopardilis
FILO: Chordata
CLASSE: Mammalia
ORDEM: Artidactyla
FAMÍLIA: Giraffidae
ALTURA: média de 5 m
COMPRIMENTO DO PESCOÇO: até 3 m PESO: macho, 1, ½ t
TEMPO DE VIDA: cerca de 25 anos
PERÍODO DE GESTAÇÃO: 450 dias (14 a 15 meses)

Apesar do seu longo pescoço, a girafa possui o mesmo número de vértebras que o camundongo ou o homem. É assim tão alta por causa do alongamento de cada um dos ossos do pescoço e das pernas. Essa grande altura permite-lhe alimentar-se das folhas mais altas e mais tenras das árvores, especialmente da acácia. O animal pode também vigiar com facilidade os arredores, o que é uma vantagem para prevenir-se contra os perigos. Há porém, algumas desvantagens. Para beber, a girafa deve abrir bastante as pernas e penosamente abaixar o pescoço de forma que sua boca possa alcançar a água. Essa é uma posição incômoda e instável que deixa a girafa indefesa contra o leão. A organização do grupo é que resolve esse problema: algumas ficam de guarda enquanto outras bebem.

Quando a girafa galopa, as pernas traseiras cruzam-se com as dianteiras. No seu passo normal, ela desloca-se movendo primeiro ambas as pernas de um lado do corpo e depois as do outro lado; ela utiliza o pescoço para manter o equilíbrio.

 

Musaranho-Arborícola

musaranho-arboricolaNOME COMUM: Musaranho-arborícola ou tupaia
NOME EM INGLÊS:
Common Treeshrew
NOME CIENTÍFICO:
Tupaia glis
FILO:
Chordata
CLASSE:
Mammalia
ORDEM:
Primatas
FAMÍLIA:
Tupaiidae
COMPRIMENTO:
10 a 20 cm, mais a cauda de igual tamanho
ALTURA:
PESO:
TEMPO DE VIDA:
NÚMERO DE FILHOTES:
2 ou 3 filhotes de cada vez
MATURIDADE SEXUAL:
PERÍODO DE GESTAÇÃO:
REPRODUÇÃO:
Gestação de 42 a 52 dias.
FILHOTES:
Os filhotes nascem em ninhos de folhas e aí ficam isolados. De tempos em tempos, a mãe vai amamentá-los. Nascem nus e cegos, mas deixam o ninho com um mês de idade, já capazes de se defender sozinhos. 
TEMPO DE VIDA:
até 12 anos em cativeiro
FILHOTES:
Os filhotes nascem em ninhos de folhas e aí ficam isolados. De tempos em tempos, a mãe vai amamentá-los. Nascem nus e cegos, mas deixam o ninho com um mês de idade, já capazes de se defender sozinhos.
ALIMENTAÇÃO: varia conforme a espécie compreende sempre vegetais (folhas, frutos e sementes) e animais (insetos, vermes, ovos, passarinhos e pequenos roedores).
DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA: Existe mais de uma dúzia de espécies. Espalhadas desde a Índia até Bornéu.

Musaranho-arboricolaÉ tão difícil classificar o mussaranho-arborícola, ou tupaia, que para ele foi proposta uma ordem própria, a dos Tupaióides. Provisoriamente está colocado entre os primatas menos evoluídos, por causa das particularidades do seu crânio e seu cérebro bem desenvolvido. Existe mais de uma dúzia de espécies. Espalhadas desde a Índia até Bornéu, em inúmeros detalhes lembram os esquilos, mas possuem um focinho mais pontudo. Também a cauda, tão longa quanto o corpo, não é espessa. A pelagem varia do cinzento ao castanho.

Embora sejam arborícolas, os tupaias correm velozmente no solo onde buscam uma parte do seu alimento. Dormem nas árvores, às vezes em ninhos de folhas. São diurnos e vivem solitários uma grande parte do ano. Sua alimentação, que varia com a espécie, compreende sempre vegetais (folhas, frutos e sementes) e animais (insetos, vermes, ovos, passarinhos e pequenos roedores). Os filhotes nascem em ninhos de folhas e aí ficam isolados. De tempos em tempos, a mãe vai amamentá-los. Nascem nus e cegos, mas deixam o ninho com um mês de idade, já capazes de se defender sozinhos.

Baiji
Ameaçado

Nome comum: Baiji
Nome em Português: Baiji ou Golfinho Branco
Nome em inglês: Chinese River Dolphin
Nome Científico: Lipotes vexillifer
Outros Nomes: Yangtze rio golfinho, Pei C’hi, golfinho de Whitefin, golfinho de Whiteflag, golfinho de rio chinês
Reino: Animal
Filo: Chordata
Classe: Mamífero
Sub classe: Eutheria
Ordem: Cetacea
Sub ordem: Odontoceti (baleia Dentada, golfinho ou toninha)
Superfamília: Platanistoidea
Família: Lipotidae
Gênero: Lipotes
Tamanho: Baiji têm 80 a 90 cm (32 – 35 em) quando eles nascem. Adultos com 2 anos – 2.4 metros (6 ft 6 em – 8 ft).
Peso: Quando eles nascem, baiji pese entre 2.5 e 4.8 kg (6 – 11 lb). baiji de Adulto pese entre 100 e 160 kg (220 – 355 lb).

Habitat: Rio Yangtze, China
Tempo de vida: 30 anos
Alimentação: Pequenos peixes e camarão
Dentição: Eles têm uma média de 65 dentes em cada fila de ambas as mandíbulas.
Descrição: O Baiji possui o corpo claro em um tom azulado cinzentado e sua barriga é branca ou um branco acinzentado. A barbatana é muito baixa e de forma triangular e as nadadeiras são arrendodadas e curtas. Olhos pequenos.
População: ZERO
Estatistica: EXTINTO. O animal era um autêntico fóssil vivo, que habitava as águas do rio mais longo da China há 25 mil anos. Cerca de 400 baiji viviam no rio Yang Tse em 1980. Na última pesquisa, em 1997, foram avistados 13 golfinhos, e um pescador disse ter visto um exemplar em 2004.

ORCA

Nome comum: Orca ou Baleia Assassina
Nome Científico: Orcinus orca
Nome em Inglês: Orca ou killer whale
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Cetacea
Subordem: Odontoceti
Família: Delphinidae
Género: Orcinus
Espécie: O. orca.
Alimentação: Uma orca média come 250 kg de comida por dia. São caçadores eficientes que comem uma dieta muito diversa de peixe, lula, tubarões, mamíferos marinhos (inclusive baleias), tartarugas, polvos, e pássaros (pingüins e gaivotas). Eles são conhecidos para atacar baleias azuis jovens e até mesmo outras baleias grandes.
Distribuição geográfica: Encontram-se em todos os oceanos e na maior parte dos mares, incluindo (o que é raro, para os cetáceos) o mar Mediterrâneo e o mar da Arábia. As águas mais frias das regiões temperadas e das regiões polares são, contudo, preferidas. Ainda que se encontrem por vezes em águas profundas, as áreas costeiras são geralmente preferidas aos ambientes pelágicos (zona pelágica é a região oceânica, em alto mar, fora da plataforma continental, que se estende desde a superfície até 200 metros de profundidade.).
Interação social: As orcas têm um sistema social de agrupamento bastante complexo. A unidade básica é a linha matriarcal que consiste numa única fêmea, mais velha, e os seus descendentes. Os filhos e filhas da matriarca fazem parte desta linha, tal como os filhos e filhas destas últimas filhas – contudo, os filhos e filhas de qualquer um dos filhos passarão a viver com a linha matriarcal das suas companheiras de acasalamento – e assim sucessivamente, ao longo da árvore genealógica destes animais. Como as fêmeas podem viver até cerca de noventa anos, não é raro encontrar quatro ou mesmo cinco gerações de orcas vivendo na mesma linha.
Comprimento e Peso: Os machos podem medir até 9,5 metros de comprimento e pesar até 8 toneladas; as fêmeas são menores, chegando aos 8,5 metros e 5 toneladas, respectivamente.

Recém nascidos: As crias nascem com cerca de 180 Kg e medem cerca de 2,4 metros de comprimento.
Som: Tal como os outros golfinhos, as orcas são animais com um comportamento vocal complexo. Produzem uma grande variedade de estalidos e assobios usados em comunicação e ecolocalização. Os tipos de vocalização variam com o tipo de actividade.Clique aqui para ouvir o som da Baleia Assassina
Acasalamento: O acasalamento das orcas efetua-se com um processo demorado de corte, após o qual a cópula ocorre com um dos animais posicionando o seu corpo por sobre o corpo do(a) companheiro(a). As fêmeas dão à luz apenas a um filhote.
Tempo de gestação: 11 a 12 meses podendo chegar a 15 meses.
Período de amamentação: O período de amamentação dura pelo menos 12 meses. A mãe orca é muito carinhosa e atenciosa com o seu filhote e nunca se afasta de sua cria pelo menos nos 2 primeiros anos de vida.
Período entre gestações: é muito variável e pode ser de 3 ou 3.5 anos ou até 8.3 anos
Maturidade sexual: é atingida aos 15 ou 16 anos nos adultos e 8 a 10 anos nas fêmeas.
Dentição: O número de dentes varia entre indivíduos. Normalmente há 10 a 14 dentes em cada lateral da mandíbula – um total de 40 a 56 dentes. Cada dente mede aproximadamente 7.6 cm e 2.5 cm em diâmetro.
Velocidade de nado: 10 a 13 km por hora mas, quando persegue a vítima pode chegar a 55 km/h e da saltos de até 12 metros de distância, mais de um metro acima da água.
Mergulho: Orcas pode mergulhar a uma profundidade de 100 pés (30 m) para caçar.
Tempo de vida: Machos têm uma probabilidade de vida de 50-60 anos. Fêmeas têm uma probabilidade de vida de 90 anos.


Características físicas: Estes animais caracterizam-se por terem o dorso negro e a zona ventral branca. Têm ainda manchas brancas na parte lateral posterior do corpo, bem como acima e detrás dos olhos. Com um corpo pesado e entroncado, têm a maior barbatana dorsal do reino animal, que pode medir até 1,8 metros de altura (maior e mais erecta nos machos que nas fêmeas).

Cativeiro: A inteligência das orcas e a facilidade em treiná-las, bem como sua aparência e o seu comportamento brincalhão em cativeiro torna-as um animal bastante popular para exibição em aquários e em espetáculos aquáticos.

A orca ou baleia assassina na verdade não é uma baleia mas sim o maior membro da família dos golfinhos. As orcas são o segundo maior grupo de mamíferos distribuídos pela Terra depois dos humanos e é encontrada nos oceanos de todo o mundo, desde as regiões frígidas do Ártico até as regiões quentes dos mares tropicais. A orca é um predador versátil, podendo comer qualquer habitante do mar incluindo, peixes, moluscos, aves, tartarugas, focas, morsas e leões marinhos. Quando caçam em grupo, conseguem capturar presas de maior tamanho como baleias de barbatana e baleias azuis.

Apesar da designação baleia assassina, não é, na verdade, assassina. O nome provém da alteração da expressão “assassina de baleias” já que caçam outros cetáceos jovens e animais de maior porte. Está, portanto, no topo da cadeia alimentar oceânica.

Têm uma vida social complexa, baseada na formação e manutenção de grupos familiares extensos. Comunicam através de sons e costumam viajar em formações que assomam ocasionalmente à superfície. A primeira descrição da espécie foi feita por Plínio, que já a descrevia como um monstro marítimo feroz. Contudo, não se tem conhecimento de ataques a seres humanos no ambiente selvagem, ainda que se saiba de alguns casos de agressões aos seus treinadores em parques temáticos. Tanto vivem no alto mar como junto ao litoral.

Antilocapra

NOME COMUM: Antilocapra
NOME EM INGLÊS: The Pronghorn
NOME CIENTÍFICO: Antilocapra americana
FILO:Chordata
CLASSE: Mamalia
FAMILIA: Antilocapridae
ORDEM: Aeriodactyla
COMPRIMENTO DO CORPO: até 150 cm
COMPRIMENTO DA CAUDA: 7.5 – 10 cm
ALTURA: Até 102 cm
PESO: O macho pesa entre 45 e 60 kg, sendo a fêmea menor com 35 a 45 kg
GESTAÇÃO: em torno de 250 dias
NÚMERO DE FILHOTES: 1-2
DESMAME: Depois de 4-5 meses.
MATURIDADE SEXUAL: com 15-16 meses, embora os machos geralmente não são socialmente maduros até 3 anos.
TEMPO DE VIDA: 7-10 anos.
GRUPO FAMILIAR: De março a outubro os rebanhos são pequenos, sexualmente segregados de até 25 indivíduos, enquanto no inverno forma rebanhos grandes com até 1,000 animais.
CARACTERÍSTICAS: Os machos possuem um par de cornos com cerca de 30 cm de comprimento, estruturados em torno de uma base óssea e forrados com uma substância pilosa que é renovada anualmente. Algumas fêmeas têm também cornos, sempre menores e mais rectilíneos que os dos machos. A coloração é de cor castanha dourada, com barriga, zona da cauda e queixo brancos. O antilocapra tem também duas riscas horizontais de cor branca na garganta. Os machos apresentam uma crina castanha e uma mascara mais escura em torno dos olhos.
FILHOTES: As crias de cor acinzentada nascem com 2 a 4 kg de peso.
DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA: América do Norte. A sua distribuição geográfica estende-se desde o sul dos estados de Saskatchewan e Alberta, no Canadá, à Baixa Califórnia e deserto de Sonora no México. O limite Este é demarcado pelo rio Missouri.
ALIMENTAÇÃO: O antilocapra é um animal herbívoro. Gramas, folhas, cáctus.
HABITOS: hábitos gregários, e vive em manadas numerosas.
PREDADORES: Os predadores naturais do antilocapra, especialmente dos filhotes, são lobos, coiotes e linces.

Com uma velocidade máxima registada de 98 km/h, o antilocapra é o segundo animal mais rápido do mundo, ultrapassado apenas pela chitah que vive na savana africana. Esta rapidez evoluíu como resposta à presença de predadores extremamente rápidos, não os atuais, mas a chitah americana, extinta do Plistocénico.

A Antilocrapa é o único sobrevivente de um animal pré-histórico, cujos vestígios fósseis deixaram sem resposta as perguntas sobre sua evolução. Ele tem a crina eriçada e os dedos larterais atrofiados dos bois; tem o mesmo número de v;ertebras que os veados. Os chifres caem todo ano, mas o processo de crescimento é diferente dos outros cervídeos. Em caso de perigo, o antilocrapa avisa seus companheiros eriçando os pêlos compridos e brancos que tem no traseiro. Esse sinal é transmitido de animal para animal. Os rebanhos se reúnem em setembro, e os machos mais fortes, depois de combaterem, juntam haréns de 10,12 ou até 20 fêmeas.

Desde a sua descoberta que os antilocapras foram caçados em grande número pelos pioneiros americanos. A caça excessiva quase levou a espécie à extinção e em 1908 restavam apenas cerca de 20,000 exemplares. Subsequente protecção legal e banimento da caça possibilitou a recuperação e hoje em dia existem entre 2 a 3 milhões de antilocapras. A abundância da espécie obriga mesmo a caça organizada para efeitos de controlo de população.

FENECO
A MENOR DAS RAPOSAS

FencoNOME COMUM: Feneco argelino
NOME CIENTÍFICO: Vulpes zerdaanteriomnte era Fennecus zerda
NOME EM INGLÊS: Fennec Fox ou Desert Fox
NOME EM ESPANHOL: zorro, zorrito,
NOME EM FRANCÊS: fennec, renard des sables
NOME EM ALEMÃO: Fennek, Wstenfuchs,
NOME EM SUECO: fennek, rkenrv,
NOME EM DINAMARQUÊS: rkenrv
NOME EM ISLÂNDES: tfa, refur,
NOME EM ÁRABE: tha`lab saharawi

FILO: Chordata
CLASSE: Mammalia
ORDEM: Carnivora
FAMÍLIA: Canidae
COMPRIMENTO: 40 cm, mais de 25 cm de cauda
ALTURA: 20 cm. ORELHAS: 15cm
PESO: 1,5 kg
TEMPO DE VIDA: 15 anos
NÚMERO DE FILHOTES: 2 a 5 filhotes
MATURIDADE SEXUAL: por volta de
PERÍODO DE GESTAÇÃO: 51 dias.

FenecoREPRODUÇÃO: A estação de procriação normalmente é janeiro a março. Depois de aproximadamente 51 dias de gestação, uma fêmea dá à luz de 2-5 filhotes. Ela mantém o macho do lado de fora até que os filhotes estejam um pouco maior. Os filhotes, durante o primeiro mês de vida, se alimentam apenas do leite materno. Normalmente as fêmeas criam apenas uma vez por ano. Duas crias no ano é raridade.

HÁBITOS: Animal de hábitos noturnos

ALIMENTAÇÃO: Durante a noite caça pequenos roedores, insetos (como, por exemplo, gafanhotos), lagartos, pequenas aves e ovos, além de algumas plantas. Acomida no deserto é rara, e por isso quase todas as formas de vida de lá servem de alimento para o feneco, salvo quando se trata de um animal mais forte que ele.

DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA: Freqüenta o Saara, no sul  da Argélia e da Tunísia. Também é encontrado no Egito, na região do Sinai, e no Oriente Médio.

HABITAT: regiões desérticas, semidesérticas e montanhosas do Norte de África e da Península Arábica

STATUS: Os fenecos não são animais ameaçados mas o comércio deve ser controlado para a própria sobrevivência da espécie. São caçados freqüentemente por humanos, entretanto não causa dano direto a interesses de humanos. Como outras raposas, sua pele é utilizada por pessoas e pelos indígenas do Saara e Sinai.
FenecoCARACTERÍSITICAS: O feneco é um animal de pequenas dimensões, apesar de ter orelhas de cerca de 15 cm, para perder facilmente calor. O feneco é a menor das raposas existentes. O peso máximo que chega a atingir é de 1,5 kg. Chega a medir 20 cm de altura e 40 de comprimento. A cauda pode medir até 15 cm e o seu pêlo tem cor de areia para ajudá-lo a se esconder no deserto. Outra utilidade de seu pêlo é ajudar o feneco a refletir os raios de sol durante o dia e conservar o calor durante a noite. Além disto, os dedos das patas são protegidos do calor da areia por uma camada de pelos.

Quando o sol se põe sobre o deserto  tranqüilo, um pequeno carnívoro bege empina suas orelhas compridas e pontudas. Antes estava observando silenciosamente.  Agora chegou a hora de caçar.  Se um lagarto chegar perto, o ataque será fatal; a vitima é apanhada de um pulo e morta com uma dentada. A excelente visão do feneco lhe permite atacar rapidamente roedores, aves e répteis que se aventuram em um território. Diversos fenecos de uma mesma região podem comunicar-se por meio de sons que não são audíveis para outros animais.

FenecoEssa pequena raposa do deserto tem pelame grosso e espesso, a cauda felpuda. Freqüenta o Saara, no sul  da Argélia e da Tunísia. Também é encontrado no Egito, na região do Sinai, e no Oriente Médio. Durante a parte mais quente do dia, ele se abrigada do sol em tocas cavadas nas dunas de areia. Não Ebe quase nada; o orvalho da manhã proporciona todo o líquido de que necessita. Em março, a fêmea, depois de um período de gestação de cerca de 51 dias, dá à luz uma ninhada de dois a cinco filhotes. A fêmea, que é muito retraída, consegue seu próprio alimento, mas tem que ter cuidado para não se expor ao frio, ao qual é muitos sensível.

DOMESTICAÇÃO:

FenecoO feneço é considerado a única espécie de raposa que pode ser mantida como pet. Embora não pode ser considerado domesticado, pode ser mantido em ma classificação doméstica semelhante aos cães e gatos. Nos Estados Unidos e Canadá há uma comunidade relativamente estabelecida de criadores e donos de fenecos.  Eles são amigáveis com estranhos e com outros pets da casa porém, são extremamente ativos e é preciso muita atividade para que gaste toda energia que possui.  Além disso, ele tem o hábito de esconder comida e escavar mobília para construir um ninho.

Sua velocidade e agilidade (eles podem saltar quatro vezes o próprio comprimento de corpo), junto com o instinto de perseguição natural que eles possuem, fazem do feneço um potencial fugitivo. Como ele é capaz de cavar 6  metros em uma noite (no ambiente  narutal), se for mantido ao ar livre as cercas devem possuir vários metros para debaixo do chão. Se escaparem, os fenecos são extremamente difíceis de se recaturar.

A legalidade de possuir um feneço varia através da jurisdição de cada país. Também, sendo considerado um animal exótico, não são  todos os veterinários que sabem como tratar em caso de doença.

Glutão ou carcaju

GlutaoNome Comum: Glutão ou Carcaju
Nome em inglês:Wolverine
Nome em espanhol: El glotón
Nome científico: Gulo gulo
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: carnívora
Família: Mustelidae
Comprimento: mede em média 70 a 110 cm de comprimento, excluindo a cauda que chega aos 40 cm.
Altura: 40 cm
Peso: até 30 kg
Reprodução: A época de reprodução decorre durante o Verão, mas a implantação dos embriões no útero é atrasada até ao início do Inverno. A gestação só é bem sucedida se a fémea tiver acesso a uma fonte abundante de alimentos.
Filhotes: As crias nascem na Primavera em ninhadas de 3 ou 4 e desenvolvem-se muito rapidamente. Ao fim de um ano, os juvenis adquirem o tamanho adulto e a maturidade sexual.
Tempo de gestação: 7 a 9 meses
Tempo de vida: 17 anos
Distribuição geográfica: Vive no Hemisfério Norte, nas zonas frias da Sibéria, Escandinávia, Alasca e Canadá.
Alimentação: O glutão é um animal onívoro, com uma componente importante de carne na sua dieta. Tem uma dieta que pode incluir qualquer coisa de ovos até cervo. O glutão é capaz de derrubar presa até cinco vezes maior que ele. É equipado com garras grandes e com blocos em seus pés que permitem perseguir as presas em neve funda. Alguns caçam espécies que incluem rena, cervo, ovelha selvagem, e alce. O glutão pode ser muito rápido quando está no ataque, chega alcançar uma velocidade de 48 km por hora.

Glutao

Descrição física: Exteriormente assemelha-se a um pequeno urso com cauda. Tem focinho e pescoço curto e orelhas pequenas e arredondadas. A pelagem é castanha fulva e negra, muito densa, impermeável e resistente ao frio.
Habitat: habitam florestas boreais, montanhas ou planícies abertas e matos. Eles constroem camas ásperas de grama ou folhas em cavernas ou fendas de pedra, em covas feitas por outros animais, ou debaixo de uma árvore caída. Eles constroem os ninhos ocasionalmente debaixo da neve.
Comportamento: Os glutões são animais praticamente terrestres. Eles podem escalar árvores com grande velocidade e podem ser excelentes nadadores. Os glutões andam aos pulos e possuem grande resistência. Podem mover-se de 10 a 15 km sem descansar, embora a velocidade média é de 15 km por hora. Eles podem cobrir até 45 km em um dia nas suas atividades. Glutões são animais com hábitos noturnos, mas eles são freqüentemente ativos na luz do dia. Estes animais não hibernam na época da neve por isso são ativos durante o ano todo, até mesmo no tempo mais severo. Em geral, os glutões são solitários (menos na época de procriação) e territoriais e não toleram os indivíduos do mesmo sexo em seus territórios. Os territórios são marcados com secreções de glândulas de cheiro anais e urina.
Predadores: Pelo fato de serem muito fortes, rápidos e agressivos possuem poucos predadores naturais. Somente são ameaçados por caçadores, lobos e grandes ursos.

Parecido com um urso pequeno, o glutão possui também o nome em inglês de wolverine e tem fama de enfezado e valente, pois enfrenta animais maiores que ele. Parece algum herói mutante que você conhece? Corajoso como o herói que inspirou, o wolverine animal é capaz de atacar grupos de lobos e até ursos polares para roubar suas presas!

Cão Cantor da Nova Guiné
Singing Dog

NOME COMUM: Cão cantor da Nova Guiné
NOME EM INGLÊS: Singing Dog ou NGSD (New Guinea Singing Dog)
NOME CIENTÍFICO: Canis lupus hallstromi
REINO: Animalia
FILO: Chordata
CLASSE: Mammalia
ORDEM: Carnivora
FAMILIA: Canidae
GÊNERO: Canis
COMPRIMENTO DO CORPO: 35-38 cm
PESO: 08-14 kg
TEMPO DE VIDA: 15-20 anos
PERÍODO DE GESTAÇÃO:
DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA: Nativo da Nova Guiné
HABITAT: Habitam toda a ilha da Nova Guiné
APARÊNCIA: cão de porte médio, lembrando fisicamente a raposa, cabeça em forma de cunha, com orelhas pequenas e eretas, cauda com pelagem abundante e enrolada sobre o dorso quando em atividade. Ele é extremamente ágil e gracioso. A maior característica da raça é a voz. Eles emitem um som único, um uivo cantado meio melancólico e sincronizado em vários tons, interligados com grande harmonia. Eles têm pernas curtas e cabeça proporcionalmente grande em comparação com outros canis. Eles são mais curtos na altura do cernelha que dingos. O crânio é ligeiramente maior do que um dingo
CÔR: ruivo em todos os tons, sem ou com marcações simétricas em branco.
HISTÓRIA: Na década de 1950, Sir Edward Hallstrom trouxe o primeiro par fora da Southern Highlands distrito de Papua-Nova Guiné a Taronga Zoo em Sydney, na Austrália, e foi primeiro classificação das amostras como uma espécie distinta, Canis hallstromi(Troughton, 1957). Atualmente, ele é classificado como uma subespécie dos cães Canis lupus, Canis lupus hallstromi.

O Cão cantor de Nova Guiné é uma raça de cão selvagem, que é nativo da Nova Guiné, classificado como uma subespécie de Canis lupuse é relacionado com o australiano Dingo. Ele tem permanecido isolados de outros cães durante quase 6000 anos, tornando-os possivelmente o mais antigo dos cães párias.

Até parece que está cantando. Eles habitaram toda a ilha da Nova Guiné, hoje está prestes a desaparecer e diminuiram as populações selvagens. São encontrados apenas nas montanhas. Eles são extremamente inteligentes, mas difícil de manter por causa dos comportamentos selvagens. Com boa formação e socialização, eles podem viver com os humanos em seu habitat.

Eles são reconhecidos como uma raça pela United Kennel Club, classificado no grupo dos galgos e cães párias. Um grupo de conservação, “Cão Cantor Nova Guiné International”, oferece conselhos e ajuda aos novos ou potenciais proprietários, no resgate de cães abandonados e perdidos, oferencendo serviços de registro e pedigree, sem custos adicionais.

Os Cães cantores de Nova Guiné são únicos em sua capacidade de uivar como um lobo de maneira semelhante, mas ao contrário dos lobos, eles “cantam”, daí o nome.

Baleia Azul

Espécie: Balaenoptera sp.
Sub-espécies:

Balaenoptera musculus – Hemisfério Norte
Balaenoptera intermedia – Hemisfério Sul
Balaenoptera brevicauda – Equador


A baleia azul possui um corpo alongado, hidrodinâmico, com sua barbatana dorsal pequena e triangular. Sua cauda é considerada pequena em proporção ao seu grande tamanho e suas barbatanas dorsais são finas, alongadas e compridas. São os maiores animais da Terra, podendo chegar ao peso de 145 a 160 toneladas. Seu antepassado direto foi o maior animal já existente na chegando a 175 toneladas de peso. Seu corpo é liso, formado por uma pele macia de coloração cinza-azulada, com manchas azuis mais claras espalhadas pelo corpo, por isso o nome Baleia Azul. Sua cabeça tem o formato de um D deitado e é dividido, em sua porção dorsal, por

uma linha que vai desde a entrada da boca até a “narina” (buraco respirador), dividindo a cabeça em dois lados. Possui ainda cerca de 60 linhas ventrais que saem da boca e vão até a porção média do corpo. Os machos podem chegar ao tamanho de 25 metros Com essa conformação corporal as baleias azuis são consideradas ótimas nadadoras, podendo atingir uma velocidade de 3 a 4 nós, existem relatos de velocidades até 8 nós.

As baleias azuis podem ser encontradas em todos os oceanos do mundo. No Pacífico Norte, e do Atlântico Norte ao Sul, encontradas no verão em toda Antártica. No Inverno migram para águas mais quentes como Brasil, Equador, África do Sul e, com menos freqüência, para Austrália e Novazelândia.

São consideradas baleias filtradoras, alimentando-se de gigantescas quantidades de pequenos peixes e plancton, chegando a ingerir mais de meia tonelada por dia. Possuem uma expectativa de vida de 35 a 40 anos

Graças a seu grande tamanho, eram muito caçadas por baleeiros e sua população diminuiu bruscamente nos últimos dois séculos. No século 19 eram estimadas a existência de 200.000 baleia espalhadas pelo mundo. No final do século eram apenas 9.000. Sua proteção por lei foi regulamentada em 1965 sendo que hoje não restam mais de algumas centenas nos vasto oceanos da Terra.

COALA

NOME COMUM: Coala
NOMES CIENTÍFICOS: Phascolarctos Cinereus
3 SUBESPÉCIES:
Phascolarctos cinereus adustus (Queensland),
Phascolarctos cinereus cinereus (New South Wales) e
Phascolarctos cinereus Victor (Victoria)
NOME EM INGLÊS: Koala
DERIVAÇÃO DO NOME: O nome “koala” deriva do dialeto aborígine e significa “não bebe”. O nome científico deriva das palavras gregas “phaskolon” (“bolsa”) e “arktos” (“urso”) e da palavra latina “cinereus” (cor de cinza).
REINO: Animal
FILO: Chordata
SUBFILO: Vertebrata
CLASSE: mamália
ORDEM: Marsupialia
SUBORDEM : Vombatiformes
FAMÍLIA: Phalongeridae
TAMANHO: 60 cm
PESO: machos acima de 12 kg – fêmeas: 8 kg
CoalaDESCRIÇÃO: É um conhecido marsupial australiano, com aspecto de ursinho, pelagem é macia, de cor cinzenta, mesclada na região dorsal e branca na região ventral do corpo. A cabeça é arredondada e as orelhas são grandes e peludas. O nariz é grande, geralmente de cor negra e não apresenta pêlos.
COMO OS COALAS SOBEM NAS ÁRVORES: Nas patas anteriores, o polegar e o dedo seguinte são oponíveis aos restantes dedos e nas patas posteriores só os polegares são oponíveis, permitindo ao animal agarrar-se e subir aos troncos quase lisos dos eucaliptos, pois, além disto, todos os dedos, à exceção dos polegares das patas posteriores, possuem fortes garras que auxiliam a preensão dos ramos e a ascensão nos troncos. Apenas as fêmeas apresentam bolsa marsupial (ou marsúpio).


MATURIDADE SEXUAL: Machos, 3 – 4 anos; fêmeas 2 – 3 anos.
ACASALAMENTO: Dezembro à março
GESTAÇÃO: 25 – 35 dias
NÚMERO DE FILHOTES: Um filhote.
FILHOTES: Ao nascer o filhote p esa apenas 0,5 g e tem menos de 20 mm de comprimento. O corpo é desprovido de pêlos, cor-de-rosa e cheio de vasos sanguíneos; os olhos e os ouvidos ainda estão fechados; a boca, as narinas e as patas posteriores são apenas um esboço. Somente as patas anteriores são suficientemente robustas para lhe permitir executar sozinho o trajeto até a bolsa ventral da sua mãe e ali permanecer agarrado a uma das duas mamas.
Por volta dos cinco meses e meio, a cria começa a sair do seu tranqüilo abrigo, mas não se afasta muito da mãe e, ao primeiro sinal de perigo, torna a entrar ou então emite uma espécie de vagido.


Aos 6 meses, o coala está coberto de pêlos, mede cerca de 20 cm e pesa entre 400 e 500 g. Durante os primeiros meses de vida, o regime alimentar do coala é muito especial: ele consome uma papa que é constituída de folhas de eucalipto pré digeridas que sai do intestino da mãe.
A permanência fora do refúgio vai aumentando e, aos 8 meses, torna-se definitiva. A partir daí, o jovem só enfia a cabeça no marsúpio quando tem de mamar. Durante as peregrinações noturnas, a mãe ainda o transporta sobre o dorso.
Com cerca de 1 ano de idade, o filhote está completamente desmamado. Caso se trate de uma fêmea, só irá se afastar da mãe quando for à procura de um território próprio. Mas se for macho, será expulso na época reprodutiva pelo macho residente.
HÁBITOS: É um animal polígono, isto é, um macho copula com várias fêmeas. É de atividade principalmente noturna e de hábitos solitários. Arborícola, raramente se locomove pelo solo, e quando o faz é bastante desajeitado. Somente se junta a outro coala na época do acasalamento.
ALIMENTAÇÃO: É herbívoro e se alimenta exclusivamente de folhas de determinadas espécies de eucaliptos.
TEMPO DE VIDA: 15 – 20 anos
DISTRIBUIÇÃO: Habita a parte oriental da Austrália, e as populações setentrionais são menores que as do sul.
PREDADORES: são poucos os predadores do coala, o mais importante é o Canis dingo – um cachorro selvagem – que mata os coalas velhos ou doentes, pois um adulto de boa saúde pode feri-lo gravemente. Os aborígines caçam tradicionalmente o coala, que é uma presa fácil por causa dos seus hábitos sedentários e devido aos seus movimentos lentos. O coala é indispensável no regime alimentar dos aborígines. Outro fator que pode prejudicar os coalas são as muitas secas que ocorrem nas florestas do interior, ocasionando incêndios espontâneos que se propagam por zonas muito vastas.
DEFESA: Quando pressente um perigo vindo do solo, o animal tem o costume de se esconder em vez de fugir.
CONSERVAÇÃO: Está ameaçado de extinção devido a derrubada das florestas da Austrália. Agora as espécies são protegidas. Existem vários santuários em Victoria e Queensland na Austrália. O Coala foi re-introduzido no Sul da Austrália onde havia sido extinto.


COMO OS COALAS SOBEM NAS ÁRVORES: Nas patas anteriores, o polegar e o dedo seguinte são oponíveis aos restantes dedos e nas patas posteriores só os polegares são oponíveis, permitindo ao animal agarrar-se e subir aos troncos quase lisos dos eucaliptos, pois, além disto, todos os dedos, à exceção dos polegares das patas posteriores, possuem fortes garras que auxiliam a preensão dos ramos e a ascensão nos troncos.

VOCÊ SABIA QUE?

•  O Coala não é urso e sim um marsupial
•  O coala é um ótimo nadador, atravessa rios para sobreviver forte inundação.
•  Ironicamente muitos coalas são mortos nos santuários correndo atrás dos carros dos visitantes.
•  Um coala recém-nascido é do tamanho de um feijão
•  O coala nunca bebe água. Enquanto ele é filhote, a água de seu corpo vem do leite de sua mãe. Quando ele já é maior, ele come folhagens, brotos de eucalipto e folhas. Esses alimentos são ricos em água e satisfazem as necessidades do coala adulto.
•  Um coala adulto pode comer até 1 kg de folhas diariamente.
•  Existem mais de 100 espécies de eucaliptos na Austrália, mas o coala só se alimente de três deles. Esta é a razão da dificuldade em manter o coala vivo em zôos e santuários, difícil tarefa de encontrar suficientes folhas de eucaliptos da espécie correta.
•  O coala não sobrevive sem uma dieta de folhas de eucalipto.

Pintando o Coala

Clique na imagem abaixo, imprima e pinte. Bom divertimento!

Dik Dik

NOME EM INGLÊS: Dik Dik Antelope

FILO: Chordata
CLASSE: Mammalia
ORDEM: Artiodactyla
FAMíLIA: Bovidae
COMPRIMENTO: 55 a 65 cm
ALTURA: 30 a 40 cm no quarto dianteiro
PESO: 3 a 5 kg

REPRODUÇÃO: Gestação aproximadamente 6 meses com único filhote. Jovem é independente a 6 meses e alcança o tamanho total aos 12 meses. Maturidade sexual é atingida aos 6 meses para as fêmeas e 14 meses para machos.

TEMPO DE VIDA: Mais de 10 anos.

Os dik-diks são os menores antílopes que existem. Conhecidos também com antílopes-pigmeus, eles têm em média 35 cm de altura ou, conforme a espécie, ainda menos.

Existem 7 espécies de dik-diks, encontradas por toda a África ao sul do Saara. Além do pequeno tamanho, todas elas têm em comum o focinho comprido e o lábio superior em formato de tromba, com o da anta. As orelhas são muito grandes e os machos têm pequenos chifres retos, anelados na base. O topo da cabeça é coroado por uma crista de pêlos compridos e duros.

Os dik-diks são as sentinelas da mata. Com a aproximação de qualquer intruso, soltam o grito que deu origem ao seu nome, alertando outros animais. Vivem aos pares ou em pequenos bandos e se alimentam principalmente de folhas. São capazes de sobreviver nas regiões mais áridas e não têm nenhuma necessidade de beber água.


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s